Noticias

Operação desarticula quadrilha que fraudava benefícios de aposentadoria por incapacidade no estado da Bahia

A Força-Tarefa Previdenciária no estado da Bahia, deflagrou, na manhã desta terça-feira (12), a Operação Zenon, com o objetivo de desarticular esquema criminoso que fraudava benefícios de aposentadoria por incapacidade permanente, na região metropolitana de Salvador.

Foram cumpridos dois mandados de prisão temporária, um mandado por condenação definitiva (indivíduo com mandado de prisão em aberto, por outro motivo) e oito mandados de busca e apreensão, nos municípios de Salvador, Camaçari e Dias D´Ávila, todos na Bahia.

Imagem divulgação – PF

As investigações tiveram início há cerca três meses, quando se identificou a existência de diversas aposentadorias previdenciárias concedidas de forma fraudulenta mediante a inserção de dados falsos nos sistemas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Além disso, constatou-se que as credenciais, que supostamente teriam concedido os benefícios, pertencem a ex-servidores da autarquia.

Foram identificados, até o momento, pelo menos 15 benefícios concedidos de forma ilegal. No entanto, o setor de monitoramento do INSS conseguiu bloquear os pagamentos antes que fossem efetuados os saques. Mesmo após os bloqueios, os criminosos entraram nos sistemas do INSS para solicitar a liberação desses pagamentos. A maioria deles gerariam valores retroativos que pagariam cerca de R$ 70 mil cada um.

De acordo com os cálculos da Coordenação de Inteligência da Previdência Social (COINP) do Ministério da Previdência Social (MPS), com o bloqueio dos benefícios fraudulentos, a economia projetada supera o valor de R$ 76 milhões, considerando os valores retroativos e a expectativa de vida.

Os envolvidos responderão por diversos crimes, dentre eles associação criminosa, inserção de dados falsos em sistemas de informações, estelionato previdenciário, modalidade tentada, dentre outros, com penas que, se somadas, podem chegar a mais de 15 anos de prisão.

Cerca de 40 policiais federais atuaram na Operação Zenon, cujo nome faz referência ao codinome utilizado por um dos fraudadores, perante os demais partícipes do grupo.

Há 23 anos, a Força-Tarefa Previdenciária é integrada pelo Ministério da Previdência Social e pela Polícia Federal, que atuam em conjunto no combate a crimes estruturados contra o sistema previdenciário. No Ministério da Previdência Social, cabe à Coordenação de Inteligência da Previdência Social detectar e analisar os indícios de crimes e fraudes organizadas.

CURTA NOSSAS REDES SOCIAIS

  

Atenção, não somos responsáveis pelos comentários