Chapada DiamantinaSugestão de Pautas

2ª parte do documentário “Chapada Diamantina” mostra como é dormir em cima do Pico do Itobira

O documentário “Chapada Diamantina”, idealizado pelos baianos Anderson Sotero, jornalista e criador do Comoviajeiblog, e Flavimir Guimarães, assistente social e fotógrafo, teve sua segunda parte lançada no YouTube. Desta vez, os viajantes mostram como foi dormir em cima do Pico do Itobira, um dos “Gigantes do Nordeste”, conjunto de montanhas e morros acima de 1.900 metros de altitude.

Os Gigantes do Nordeste estão localizados no extremo Sul da Chapada Diamantina, perto das cidades de Rio de Contas, Abaíra, Érico Cardoso, Rio do Pires, Livramento de Nossa Senhora e Piatã. Destacam-se: o Pico das Almas, com 1.958 metros de altitude e suas indescritíveis formações rochosas, que evidencia a exuberância da Serra do Espinhaço; o Pico do Itobira, com 1.933 metros e o Pico do Barbado, considerada a maior elevação do Nordeste, com 2.033m de altitude.

“Nós já havíamos feito o do Barbado e das Almas. São dois tours fascinantes. A Serra das Almas, por exemplo, é um dos lugares mais bonitos que já visitei. Faltava o Itobira. E eu queria experimentar como era pernoitar no lugar, ver um céu estrelado, sentir o vento frio. Foi incrível demais”, conta Sotero.

Para subir no Itobira, os dois viajantes dormiram na cidade de Rio de Contas. “É uma cidade que nos encantou. Conhecemos no São João e tivemos uma interação muito grande com moradores, visitamos os principais pontos turísticos. Foi uma das nossas melhores viagens. Em novembro, decidimos voltar e dormir no pico”, acrescenta Guimarães.

Durante o percurso, foram feitas algumas entrevistas, que resultaram na segunda parte do documentário “Chapada Diamantina” (a primeira parte teve como foco o Vale do Pati). “O fio condutor narrativo é a nossa própria viagem. Gravamos sem muita preocupação. Queria que fizesse parte da viagem, que mostrasse um pouco do que vimos, mas não que fosse algo para atrapalhar a nossa experiência. O mais importante é viajar, aproveitar. O resto vem depois”, complementa Sotero.

O documentário está disponível gratuitamente no canal do Comoviajeiblog no YouTube. Em breve, será feito também um relato descritivo sobre a experiência no blog. Confira aqui:

CURTA NOSSAS REDES SOCIAIS

  

Atenção, não somos responsáveis pelos comentários