Zé de Lessa e mais três morrem em confronto com a polícia

Quatro morreram e um foi preso durante troca de tiros com a polícia na manhã desta quarta-feira (4) em chácara localizada entre as cidades de Aral Moreira e Coronel Sapucaia. Apontado pela Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) como o bandido mais procurado do estado da Bahia, o baiano José Francisco Lumes, o Zé de Lessa, foi morto na manhã desta quarta-feira (04) pela polícia no estado do Mato Grosso do Sul. A informação foi confirmada ao CORREIO pela SSP-BA, que foi informada pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais da PM do MS que Zé de Lessa havia sido morto em confronto.

Ele era o ás de ouros do Baralho do Crime da SSP, um arquivo que reúne os principais criminosos do estado da Bahia. A SSP-BA destacou que Zé de Lessa tinha envolvimento com ataques a bancos, assaltos a carros-forte, sequestro e tráfico de drogas. Ele estava escondido no Paraguai. Em 2018, ele quase foi preso, segundo a SSP-BA, mas fugiu.

Além de Zé de Lessa outros três homens foram mortos e um foi preso na operação da polícia sulmatogrossense que aconteceu em uma chácara localizada entre as cidades de Aral Moreira e Coronel Sapucaia.

Segundo a polícia do MS todos são suspeitos de integrar a quadrilha que atacou um carro-forte da empresa Brink’s na fronteira com o Paraguai na segunda-feira (2).

Ele criou o BDM dentro da cadeia e logo sua facção passou a ganhar destaque. Tornou-se o principal rival da facção Katiara, comandada por Roceirinho, e passou a disputar pontos de droga com o rival. Ele tem entre seus principias comparsas alguns parentes.

Na caatinga sem palmeiras de Cafarnaum, no Centro-Norte do estado, nascem juremas, mandacarus, aroeiras e caroás. Foi em meio a essa paisagem do sertão – mais especificamente, entre os pouco mais de 2 mil habitantes do povoado de Recife, quase na fronteira do município – que despontou o homem tido como um dos maiores criminosos do estado. Nesse cenário improvável de tranquilidade, nasceu José Francisco Lumes, o Zé de Lessa.

Se nem o nome, nem a alcunha pela qual ficou famoso, trazem nada à mente, talvez o “currículo” o faça: Zé de Lessa é o Ás de Ouro do Baralho do Crime da Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), que indica os foragidos mais perigosos do estado. Segundo a polícia, ele liderava o Bonde do Maluco (BDM), considerada hoje a facção mais truculenta do estado.

Em novembro do ano passado, uma quadrilha roubou R$ 100 milhões em um banco em Bacabal, no Maranhão. Quem teria comandado o assalto foi o próprio Zé de Lessa, segundo a Secretaria da Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA). No entanto, ele estaria bem longe do Nordeste: os indícios são de que ele tenha ordenado o crime do Paraguai. Mas o irmão dele, Edielson Francisco Lumes, estava e foi morto pela polícia maranhense, após um confronto na mesma noite. No Maranhão, era Edielson, o Dó, o responsável por repassar as ordens de Zé de Lessa, direto de outro país, aos cerca de 30 homens da quadrilha.

As informações são Correio24horas.

error: Conteúdo bloqueado...
%d blogueiros gostam disto: