Vinícola UVVA representa marco para o desenvolvimento da Chapada Diamantina e do enoturismo brasileiro

Amantes do vinho terão, a partir de 2022, motivos a mais para incluir a Chapada Diamantina em seus roteiros de viagem. A Vinícola UVVAestá afinando os últimos detalhes para apresentar ao público o resultado de mais de uma década de trabalho intenso, que envolveu um time de especialistas em uma jornada de estudos minuciosos e investimentos no que há de mais atual em tecnologia.

Foto – André Fofano

A vinícola, que abrirá suas portas oficialmente no dia 7 de março, colocará à disposição dos entusiastas do vinho sete rótulos de uma linha composta por brancos e tintos. Para conquistar os apreciadores da bebida, a promessa é apresentar produtos com uma identidade própria e genuína, além de experiências exclusivas para quem visitar a UVVA pessoalmente.Os rótulos da marca estarão disponíveis inicialmente via e-commerce próprioe os interessados poderão efetivar reservas para visitações e compras através do site oficial: www.vinicolauvva.com.br. O público também poderá acompanhar as novidades através do perfil oficial da vinícola no Instagram: @vinicolauvva.

Foto – André Fofano

A UVVA chega para ampliar o espectro de atuação da Fazenda Progresso, empresa que possui DNA familiar e aposta numa visão de negócio inovadora para alavancar os potenciais da Chapada Diamantina.Tradicional no agronegócio baiano, desde a década de 1980 vem contribuindo com o desenvolvimento da região e investindo no cultivo de batata inglesa e cafés especiais, produtos amplamente reconhecidos pelo mercado. O vinho representa um passo decisivo rumo à indústria do turismo e a implantação do projetotraz mais um impacto positivo à cadeia produtiva local, com a criação de mais de 200 novos postos de trabalho.

“Não existe fórmula mágica.Temos a natureza a nosso favor, mas nada é certo quando estamos falando de novas iniciativas, o pioneirismo implica uma parcela enorme de responsabilidade. Não se trata simplesmente de plantar uva, é preciso saber se de fato existe viabilidade. Para isso é necessário muita pesquisa, trabalho e determinação”, avalia Fabiano Borré, que representa a terceira geração da família e ocupa o posto de CEO da Fazenda Progresso.

TERROIR ÚNICO COMO MARCA – Localizada na cidade baiana de Mucugê, a cerca de 450 quilômetros de Salvador, a Vinícola UVVA possui uma área de 52 hectares de vinhedos plantados emuma inusitada forma de círculo, conhecida como pivot. Parcelas de diferentes formatos e tamanhosse integram em um leiautesurpreendente, que abriga pelo menos dez tipos de uva, com destaque para Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Petit Verdot, Chardonnay e Sauvignon Blanc.

Ali os frutos absorvem características peculiares do clima tropical de altitude, que garante boa amplitude térmica1.150 metros acima do nível do mar, em um solo franco-argilo-arenoso típico da região. Associado à técnica da dupla poda, que realinha o ciclo da videira para permitir a maturação plena das uvas e uma colheita estratégica, as condições climáticas são responsáveis pela formação de um terroirúnico. Junte-se a isso o trabalho de excelência do enólogo Marcelo Petroli, que comanda a equipe técnica da Vinícola UVVA, trazendo na bagagem mais de 20 anos de experiência.

Essa essência está traduzida na marca da vinícola, que apresenta uma estrutura dividida em três partes. A logo tem um formato triangular que remete, ao mesmo tempo, ao cacho de uvas e a um diamante lapidado, referência aos tempos áureos da Chapada Diamantina. Grafado com dois “vês”, o nome UVVA forma uma silhueta que também faz alusão geográfica a Serra do Sincorá, que se projeta no horizonte.A marca ainda ganha o reforço da assinatura “Cepas Diamantinas”, que resume um leque de significados ligados à identidade dos vinhos.

ARQUITETURA CONCEITUAL, INTEGRADA E SUSTENTÁVEL – O projeto arquitetônico assinado por VanjaHertcert, arquiteta brasileira especializada em vinícolas e mercado de luxo, inclui também um prédio de alto padrão com mais de 5 mil metros quadrados. A edificação, que dialoga com tendências contemporâneas como linhas retas, fachada ventilada e muita visibilidade, integra-se totalmente àpaisagem com seu conceito “inside-out”.

A sustentabilidade é outro ponto forte do projeto, que possui “telhado verde”, privilegia a incidência de iluminação natural e permite o aproveitamento de parte da água das chuvas. A sede da UVVA conta, ainda, com projeto de interiores desenhado pela GAM Arquitetos, que homenageia grandes designers brasileiros e apresenta um conceito minimalista para criar uma ambientação inédita no cenário enoturístico brasileiro.

O prédio da UVVA abriga quatro pavimentos. O primeiro deles, “flutuando” sobre uma estrutura mural típica da Chapada Diamantina, dá as boas-vindas com uma vista sobre os vinhedos e tendo da Serra do Sincorá como pano de fundo, em uma panorâmica que chega à extensão de 80 quilômetros. Ali também o visitante encontraa loja de vinhos, um lounge de autosserviço, uma varanda de contemplação e o restaurante da vinícola.

Fabiano Borré e Marcelo Petroli : Foto – André Fofano

O segundo ambiente abriga laboratório, área de enologia e salas de curso e de degustação, além dos setores administrativos. No terceiro, acontece a produção propriamente dita, que inclui etapas como a vinificação e o engarrafamento dos vinhos. No subsolo, está localizada a cave, guardiã dos vinhos que estagiam em barricas antes de irem para a garrafa. É lá também que o visitante tem o privilégio de contemplar de perto uma parte aparente do solo característico da região e pode ter a sensação de estar literalmente imerso no terroir da Chapada Diamantina.

Por Daniela Castro – SECOM UVVA

Kleber Medrado

Kleber Medrado é Jornalista com registro profissional 0006598/BA, editor Chefe do SeLigaChapada.com.brDesde 2013 trazendo informações da região Chapadeira para o mundo.

%d blogueiros gostam disto: