‘Segundo Sol’ é acusada de incentivar idéia de ‘cura gay’ com romance de Maura e Ionan

Não é de agora que o autor João Emanuel Carneiro constrói um caminho de “reversão da sexualidade” em seus personagens apresentados como homossexuais. Repetindo a “tradição”, o mesmo está prestes a acontecer em “Segundo Sol”, trama que se passa em Salvador. No último sábado (25), a globo exibiu o primeiro beijo entre Maura (Nanda Costa) e Ionan (Armando Babaioff). O que poderia ser o nascimento de mais um casal no enredo, vem gerando comentários negativos nas redes sociais, devido ao fato da policial ter sido apresentada como lésbica ao público.

Ioan e Maura – Imagem reprodução TV GLOBO

“Primeiro que desde o começo a Maura afirmou ser lésbica, desde o começo da novela eles vieram reforçando que ela seria lésbica e agora tá com um homem? Gente, tá tudo errado o roteirista não soube montar a personagem era só ter dito desde o começo que ela era bi”, “Mesmo depois de toda a repulsa pré-cena que rolou no país, a @RedeGlobo teve mesmo coragem de fazer a cena da Maura e do Ionan? Colocar uma atriz lésbica pra interpretar uma lésbica e mostrar que lésbica só é lésbica até o homem ideal aparecer?”, são alguns dos comentários depositados no Twitter.

A sequência do beijo foi resultado de uma conversa dos personagens sobre os seus problemas pessoais e o filho que Maura está carregando – fruto da doação de esperma de Ionan para inseminação artificial, a fim de que Maura e Selma (sua companheira) pudessem virar mães.

Como dito no início do texto, essa situação já foi apresentada em outras histórias do autor. Em “Da Cor do Pecado” (2004), Abelardo (Caio Blat) era um gay que viva escondido por cotna da família e foi seduzido por Tina (Karina Bacchi). Dois anos depois, “Cobras e Lagartos” trouxe Tomás (Leonardo Miggiorin), apresentado a princípio como metrossexual, envolvido por Sandrinha (Maria Maya). Já na novela “A Favorita” (2008), Orlandinho (Iran Malfitano) era apaixonado pelo personagem de Cauã Reymond) até a entrada de Céu (Deborah Secco) na história, que o fez “virar hétero”.

No maior sucesso de sua carreira, “Avenida Brasil” (2012), JEC optou por um triângulo com Roni (Daniel Rocha), que era apaixonado por Leandro (Thiago Martins), mas envolvido no jogo de sedução de Suelen (Ísis Valverde). Por fim, na problemática “A Regra do Jogo” (2015), Úrsula (Júlia Rabelo) e Duda (Gisele Batista) decidem pela inseminação – assim como em “Segundo Sol” – e escolhem Vavá (Marcello Novaes), irmão de Úrsula, que acaba se envolvendo com a cunhada, grávida dele.

Por Júnior Moreira – Bahia Noticias

%d blogueiros gostam disto: