Deputados querem abertura de CPI para investigar preço dos combustíveis

O deputado federal pelo PL do Rio de Janeiro, Altineu Cortês, finalizou nesta terça-feira (21) um requerimento de abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar supostas irregularidades na política de preços da Petrobras.

Plenário da Câmara dos Deputados – Fonte: Agência Câmara de Notícias

Para ser instalada, a comissão precisa ter o apoio de 171 deputados, ou seja, um terço do seu total. Segundo o líder do governo na Câmara, o deputado Ricardo Barros (PP-PR), o requerimento já conta com 65 assinaturas.

“O país assiste estupefato à escalada sem precedentes dos preços dos combustíveis e produtos relacionados, o que tem impacto direto sobre a inflação, e, naturalmente, gera prejuízos à população”, diz o requerimento, ao qual o Se Liga Chapada teve acesso.

No documento, o parlamentar critica a política de preços adotada pela estatal – que segue o mercado internacional, graças à Lei das Estatais, sancionada ainda durante o governo do presidente Michel Temer (MDB).

“Alguns aspectos decorrentes da execução da política de preços praticada pela empresa também causam estranheza. Podemos citar, a título de exemplo, a reserva de lucros que consta em seus balanços, que estaria sendo destinada, apressadamente, para pagamentos de proventos em percentuais muito acima do mínimo legal, ao invés de ser utilizada em investimentos ou outras finalidades mais alinhadas com o interesse público”, conclui.

A abertura de uma investigação conta com o apoio do presidente Jair Bolsonaro (PL) e do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).

Na semana passada, após a Petrobras anunciar um novo reajuste no preço do diesel da gasolina e do diesel, Bolsonaro defendeu a abertura de uma CPI.

“Nossa ideia é propor uma CPI para investigar a Petrobras, seus diretores e os membros do Conselho. Queremos saber se tem algo errado nessa conduta deles, porque não é possível se conceder um reajuste com o combustível lá em cima e com os lucros exorbitantes”, disse, em entrevista à Rádio 96 FM de Natal.

Lira, por sua vez, defendeu em seu perfil oficial no Twitter a renúncia do presidente da estatal, José Mauro Coelho. “O presidente da Petrobras tem que renunciar imediatamente. Não por vontade pessoal minha, mas porque não representa o acionista majoritário da empresa – o Brasil – e, pior, trabalha sistematicamente contra o povo brasileiro na pior crise do país”, escreveu.

Ontem (20), Coelho renunciou ao cargo. Atual secretário de desburocratização do Ministério da Economia, Caio Paes de Andrade é cotado para a vaga, mas aguarda deliberação do Conselho da Petrobras.

Por Wendal Carmo

Kleber Medrado

Kleber Medrado é Jornalista com registro profissional 0006598/BA, editor Chefe do SeLigaChapada.com.brDesde 2013 trazendo informações da região Chapadeira para o mundo.

%d blogueiros gostam disto: