Chester é um dos principais pratos do Natal, mais você já viu um Chester vivo?

Chester – Você provavelmente já viu um assado, seja em casa ou na televisão, mais você já viu um Chester vivo?

BRF / Divulgação

Bom, hoje vamos contar um pouco da história dessa espécie de frango que sempre alegra os finais de ano de muita gente, um frango gigante, muitas vezes até comparado com o perú.

Nesta foto é possível ver um Chester vivo – BRF

O chester começou a ser criado pela Perdigão em 1979, a partir do cruzamento de tipos diferentes de frango, com a finalidade de criar aves com características consideradas desejáveis, com coxa e peito maiores e asas menores.

Para ajudar, pense em raças caninas: um rottweiler e um poodle têm tamanhos e características diferentes, mas ambos são cachorros.

O uso de anabolizantes em animais para consumo é proibido no Brasil desde 2004 e, portanto, o produto não é usado na criação do chester, segundo a BRF.

Repare como, em comparação ao chester, um frango comum tem peito e coxas menores, além de asas maiores.

Imagem divulgação – BRF

Aproximadamente 70% do peso total de um chester, que varia de 3kg a 4kg, fica concentrado nas coxas e no peito.

Os primeiros chesters, que começaram a ser vendidos em 1982, foram criados em granjas em Joaçaba (SC), após um o desenvolvimento genético ter sido feito nos Estados Unidos. No início, porém, a Perdigão só vendia seu superfrango no eixo Rio-São Paulo.

E o evento de lançamento foi na boate Gallery, reduto dos endinheirados paulistanos nos anos 1980.

Divulgação BRF

Durante os anos, a Perdigão que hoje em dia é parte da BRF, fez parcerias com diversas outras empresas para aproveitar melhor o chester e diminuir o desperdício industrial.

Uma dessas parcerias foi com a Seiko, companhia japonesa que faz relógios. O acordo era para a venda da pele de 1 milhão de pés de chester para produzir pulseiras de couro.

Segundo a BRF, a produção começa entre fevereiro e março para o chester chegar à mesa no fim do ano, próximo ao Natal. Um chester demora cerca de 2 meses para atingir o peso ideal. A alimentação do chester é diferente da alimentação de um frango normal. Apesar de também ser baseada principalmente em grãos, como milho e soja, sua dieta é mais rica em proteína.

Parte deste conteúdo foi reproduzido da BRF – Alexandre Aragão

%d blogueiros gostam disto: