Noticias

Após 12 dias, helicóptero que sumiu em SP é localizado em Paraibuna na manhã desta sexta-feira (12)

Após 12 dias, helicóptero que sumiu em SP foi localizado na manhã desta sexta-feira (12) município de Paraibuna, entre o litoral norte paulista e a região de São José dos Campos.

A Polícia Militar de São Paulo encontrou os restos de um helicóptero que havia desaparecido no dia 31 de dezembro, depois de sair de São Paulo em direção ao litoral, o acidente ocorreu no município de Paraibuna, que fica entre a região de São José dos Campos e o litoral norte do estado. A Força Aérea Brasileira (FAB) e a Polícia Militar participaram das buscas, que usaram um helicóptero da PM, o Águia 24, para localizar os destroços.

Quatro pessoas estavam a bordo do helicóptero, o voo era ocupado por Luciana Rodzewics Santos, de 45 anos, e sua filha Letícia Ayumi Rodzewics Sakumoto, de 20 anos, além de um amigo da família, Rafael Torres, o piloto Cassiano Tete Teodoro, de 44 anos. Antes do acidente o piloto relatou problemas para atravessar a serra.

Segundo o dono do heliponto onde o helicóptero deveria pousar, o piloto entrou em contato com ele e disse que estava enfrentando dificuldades para cruzar a serra por causa da nebulosidade. Cassiano afirmou que iria aumentar a altitude e procurar um “buraco”, termo usado na aviação para indicar uma área de céu claro.

O piloto e o dono do heliponto conversaram novamente e Cassiano reclamou das condições climáticas e disse que não conseguia subir acima das nuvens. Em seguida, ele disse que iria tentar voar por cima delas. Às 15h13, o heliponto tentou falar com a aeronave novamente, mas não obteve resposta.

Divulgação/PMESP

No mesmo dia, às 22h40, o Comando de Aviação e o Corpo de Bombeiros foram alertados sobre o desaparecimento do helicóptero, pois não havia confirmação de seu pouso ou possibilidade de contato com o piloto. O Piloto piloto Cassiano Tete Teodoro estava proibido de voar com passageiros e mesmo assim levava os passageiros no helicóptero que sumiu no dia 31 de dezembro, segundo informações o mesmo não tinha autorização para fazer o passeio.

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) informou à reportagem que “o profissional teve sua licença e todas as habilitações cassadas pela agência em 15 de setembro de 2021 por condutas infracionais graves à segurança da aviação civil. Na ocasião, o piloto recorreu à Justiça, que manteve a decisão da ANAC. Cassiano foi cassado por motivos como evasão de fiscalização, fraudes em planos de voos e práticas de transporte aéreo clandestino.

Em outubro de 2023, depois de cumprir o prazo máximo legal para a penalidade administrativa de cassação, que é de dois anos, o piloto voltou ao sistema de aviação civil ao obter uma nova licença com habilitação para Piloto Privado de Helicóptero (PPH). Essa licença não permite a realização de voos comerciais de passageiros.

A ANAC também informou que o helicóptero usado no passeio não tinha permissão para fazer o serviço de táxi-aéreo. “Em relação à citada aeronave, consta no Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB) que o helicóptero se encontra em situação normal de aeronavegabilidade, conforme registro em anexo, sem permissão para realização de serviço de táxi-aéreo”, diz a nota da agência.

Equipamentos modernos foram usados nas buscas comandadas pela Força Aérea Brasileira. Para ajudar na missão, foram acionados os departamentos especializados conhecidos como Esquadrão Pelicano (15 tripulantes) e Esquadrão Pantera (nove tripulantes).

Segundo a FAB, o SC-105 Amazonas, avião usado pelo Esquadrão Pelicano, é equipado com um radar capaz de fazer buscas sobre terra ou mar, com alcance de até 360 quilômetros. Um sistema de comunicação via satélite também permite o contato com outras aeronaves ou centros de coordenação de salvamento (Salvaero), mesmo em voos a baixa altura.

Já o H-60 Black Hawk, usado pelo Esquadrão Pantera, é um dos mais versáteis da FAB. Ele é usado em larga escala para infiltração e exfiltração de tropa e para missões de resgate e busca e salvamento. Pode percorrer até 295 quilômetros em apenas uma hora. No entanto, foi o helicóptero da Polícia Militar, o Águia 24, que conseguiu encontrar os destroços do helicóptero desaparecido.
Com informações do Jornal o DIA.

CURTA NOSSAS REDES SOCIAIS

  

Atenção, não somos responsáveis pelos comentários