DSC00028[1]

Depois de uma seca de mais de três anos, agricultores familiares do semiárido receberão 40 mil caprinos e ovinos (33 mil de corte e 7 mil de leite). A ação do Governo do Estado, executada pela Secretaria da Agricultura da Bahia (Seagri) e pela Companhia de Ação e Desenvolvimento Regional (CAR), tem o objetivo de recuperar os rebanhos afetados pela estiagem prolongada.
De acordo com o secretário estadual da Agricultura, engenheiro agrônomo Eduardo Salles, o edital de nº 10 deverá ser publicado ainda esta semana. “Esta ação é importante porque vai recuperar a cadeia da caprinovinocultura no Estado”, destacou.
Cada família selecionada receberá cinco matrizes (fêmeas) e um reprodutor Puro de Origem (PO) será entregue para grupos de 20 a 30 fêmeas. Após um ano e meio, as famílias atendidas doarão a mesma quantidade de animais para outra família, garantindo o prosseguimento do projeto e a ampliação do número de agricultores familiares beneficiados. As raças distribuídas possuem dupla aptidão (carne e leite) e se adaptam muito bem ao semiárido, com alta taxa de fertilidade e baixo custo de criação.
Agricultores familiares contemplados também receberão mil mudas de palma forrageira, para garantir a reserva alimentar para os animais e uma máquina forrageira. De acordo com o assessor da Diretoria de Pecuária da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (Ebda), José Tosato, “técnicos visitaram as comunidades para constatar se elas estavam preparadas para receber os animais e plantar as mudas de palma e prestaram assistência técnica”.
“A intenção é fazer com que todo agricultor familiar tenha reserva de palma para se preparar, em caso de períodos prolongados de estiagem”, disse o secretário Eduardo Salles, acrescentando que esta seleção é apenas uma de quatro editais que serão publicados no decorrer do ano de 2014.
A seleção das famílias aconteceu por meio de chamada pública, voltada para associações e cooperativas. De acordo com a diretora de Fomento à Produção da Seagri, Maria Auxiliadora Alvim, que coordenou o processo, houve manifestação de interesse das instituições ligadas à agricultura familiar e a secretaria exigiu documentação mínima para comprovar a existência e as condições legais dessas entidades, bem como foi realizada análise técnica, com visita de campo, para confirmar a necessidade da comunidade para receber os caprinos e ovinos. Participaram das etapas de seleção a Ebda, CAR, Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) e a Superintendência da Agricultura Familiar (Suaf).

Com informações do chapadanews.com

Comentários

Clique aqui para comentar sobre esta informação

Share.

About Author

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: