Sugestão de Pautas

Abacaxi de Itaberaba avança na comercialização para outros estados brasileiros

Que o sabor do abacaxi de Itaberaba já é reconhecido em toda a Bahia, todo mundo sabe, mas agora os produtos derivados do abacaxi e o abacaxi in natura da Cooperativa Nacional de Produção e Agroindustrialização (Coopaita) estão chegando a diversos estados brasileiros, com alta regularidade de entrega graças aos investimentos do Governo do Estado, por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR).

A Coopaita recebeu recursos no valor de R$ 3,6 milhões, por meio do projeto da CAR, Bahia Produtiva, destinados à ampliação da Unidade de Produção de Frutas Desidratadas Liofilizadas e de Barras de Cereais, aquisição de máquinas e equipamentos, assistência técnica e extensão rural (Ater), construção de loja para a comercialização de produtos e a implantação de sistema de energia solar fotovoltaica.

As intervenções permitiram à cooperativa ampliar mercados. Hoje, os produtos chegam além da Bahia, e são vendidos para os estados do Paraná, Minas Gerais, São Paulo e Santa Catarina, esse último com entrega semanal de produtos a uma rede de supermercado. Segundo o gerente administrativo da Coopaita, Daniel Cerqueira, estão sendo entregues de 20 a 30 mil frutas por semana para o estado.

“Estamos entregando os abacaxis em caixas personalizadas, o que aumentou as nossas vendas porque agrega valor aos produtos, além de divulgar a marca da Coopaita. As caixas, adquiridas via recursos do Bahia Produtiva, facilitam a segurança do produto durante a viagem, preservando a qualidade do fruto”, comentou Daniel.

Como consequência das vendas, os agricultores familiares passam a ter mais renda para continuar o plantio do fruto. O agricultor Manoel da Cruz reforçou a importância do apoio do governo estadual. “O Bahia Produtiva foi muito importante para o fortalecimento da nossa cadeia produtiva. Depois dos investimentos, a nossa renda aumentou cerca de 30% e hoje produzimos 300 mil frutos por ano”, ressaltou.

O agricultor Sydney Queiroz destacou a permanência das pessoas do campo depois dos investimentos no abacaxi. “Depois da cultura do abacaxi, o pessoal parou de migrar para São Paulo porque tem trabalho aqui. Antes, os atravessadores chegavam e colocavam o preço que queriam e o agricultor tinha de vender porque o abacaxi tinha prazo para ser colhido. Pela cooperativa, o preço é mais justo”, informou.

Frutas desidratadas

Além do abacaxi, a Coopaita beneficia e comercializa as frutas desidratadas: abacaxi, manga, banana, jaca, citrus e mix de frutas em embalagens de 100 e 250 gramas e também de um quilo. Em breve, a cooperativa estará lançando a nova linha de frutas liofilizadas – frutas que passam por um processo de sublimação – e barras de frutas.

O Bahia Produtiva é um projeto executado pela CAR, empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), com cofinanciamento do Banco Mundial.

Fonte: Ascom/CAR

CURTA NOSSAS REDES SOCIAIS

  

Atenção, não somos responsáveis pelos comentários